Mulheres no Televendas da Indústria

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
No mês da mulher, é fundamental reconhecermos e validarmos os espaços que as mulheres vêm ocupando, bem como suas conquistas ao longo das suas trajetórias profissionais. Isso tudo apesar de muitas vezes ainda encontrarem condições desfavoráveis e desigualdades de todos os tipos.  

O fato é que não existem mais limites para as mulheres. A prova disso é o televendas da indústria, por muito tempo um mercado predominantemente masculino e que agora é representado por um número crescente de mulheres. E, quando afirmamos que não há limites, é porque não existem produtos que não possam ser vendidos por mulheres. 
Nós, da Futuremark, assistimos com orgulho essa realidade nas indústrias às quais atendemos. Temos um distribuidor de material de construção, por exemplo, que possui um quadro com 14 vendedores que só não são chamados de vendedoras porque existe 1 homem na equipe. Ou seja, são 13 mulheres vendendo prego, parafuso, tinta, carrinho de mão, entre outros produtos do tipo.

Temos ainda televendas de armas, de pipetas de inseminação de suínos, de peças, de pneus, de material elétrico e assim por diante, coisas que ainda são consideradas “coisas de homem”, mas que as mulheres sabem vender muito bem.

Também observamos que, por ter algumas características mais acentuadas, as mulheres muitas vezes se sobressaem nas vendas. A capacidade de se colocar no lugar do outro (empatia) é uma delas. Ela ajuda a proporcionar ao cliente uma experiência mais próxima e humanizada, baseada nas suas necessidades e não nas características do produto que está sendo vendido.

Segundo o professor de MBA da Fundação Getúlio Vargas, Claudio Tomanini, em entrevista à revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, a mulher tem melhor visão periférica, comparando com a visão focada do homem. Isso se deve ao fato de ela ser biologicamente programada para cuidar da prole. Essa capacidade beneficia o networking e a identificação de oportunidades no seu ambiente. Ainda segundo Tomanini, o instinto materno de delicadeza e a atenção aos detalhes tornam  as mulheres mais flexíveis ao lidarem com diferentes perfis de clientes. 

O objetivo com este artigo não é o de afirmar que as mulheres são superiores aos homens, até porque muitos deles possuem essas características femininas mostradas aqui e outras que lhes dão habilidades diferentes e úteis para as vendas. A ideia é mostrar que as mulheres podem conquistar e estão conquistando os espaços que quiserem no mercado de trabalho, mais especificamente no televendas da indústria.  Como aquela música diz: “ô, abre alas que eu quero passar”. Elas próprias abriram alas e estão passando. 

Esperamos que este artigo motive ainda mais mulheres a entrar nesse mercado e em qualquer lugar que elas quiserem. 

Conte sempre com a nossa experiência e parceria. Até a próxima!

Gostou do artigo? Deseja opinar sobre este assunto? Deixe o seu comentário.


Fonte:
revistapegn.globo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como posso te ajudar?